Senado vota de surpresa pauta de aumento para o STF e Bolsonaro é contra

0
Mesmo com 16 milhões de desempregados e índice recorde de inadimplência, o Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (07) o projeto (PLC 27/2016) que prevê o aumento de salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A proposta é aumentar os subsídios mensais dos ministros em 16,38%, ou seja, de R$33,7 mil para R$39,2 mil. Foram 41 votos a favor e 16 contrários. 392621988-DOC-Complemento-de-Resultado-20181107-1 392621988-DOC-Complemento-de-Resultado-20181107-2 Segundo o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) que foi contrário à aprovação do aumento, disse que o aumento é indevido para o momento, por conta do efeito cascata. Isto é, alguns cálculos apontam o impacto de R$ 6 bilhões de reais para os estados. Frisou ainda que pela falta de previsão orçamentária, o projeto pode ser considerado inconstitucional. Também foi aprovado o aumento do salário do procurador-geral da República, com ganhos mensais fixados no mesmo patamar que os ministros do STF. As matérias aprovadas seguem para a sanção da Presidência da República. Com a palavra, Jair Bolsonaro
Jair é contra o aumento de salários do STF
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta quarta-feira (7) que vê “com preocupação” o aumento de salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal e do Procurador-Geral da República, que foi aprovado pelo Senado. “Acho que estamos numa que fase todo mundo tem ou ninguém tem. Sabemos que o Judiciário é o mais bem aquinhoado entre os poderes, a gente vê com preocupação… Obviamente que não é o momento (de aumentar gastos)”, disse o presidente eleito. “Todos têm que colaborar para que o Brasil saia dessa crise. E o poder Judiciário, no meu entender, num gesto de grandeza com toda certeza não fará tanta pressão assim por esse aumento de despesa”, afirmou o presidente eleito.
Campartilhe.

Sobre o Autor

Jornalista, assessora de imprensa e divulgação de mídia

Deixe Um Comentário

Facebook login by WP-FB-AutoConnect